Igreja Divino Salvador da Vila Ol�mpia - Padre Barone

Nossa Igreja: História da Igreja do Divino Salvador



Se visualizarmos a Vila Olímpia de cima e observarmos o contorno que fazem as avenidas Santo Amaro, Juscelino Kubitschek e Bandeirantes, podemos delinear a figura de um coração. Um coração latente, tendo em vista o burburinho frenético que ocorre nos meandros destes limítrofes. Ao observarmos melhor, podemos identificar que no coração deste coração, bem ali no lado esquerdo do peito, situa-se a calma e agitada, a agitada e calma Igreja do Divino Salvador, a verdadeira grande morada do bairro e escada da nossa salvação. E para quem não sabe, ela está lá há muito tempo!

A história da igreja remonta a 25 de Outubro de 1942, quando, num terreno doado pelo Sr. João Medeiros, foi colocada a Pedra Fundamental para a construção da primeira capela, construída pelos Padres Salvatorianos. No final de 1955, o Cardeal Dom Carlos Carmelo criou canonicamente e erigiu a Paróquia do Divino Salvador da Vila Olímpia. Já no início de 1956 foi aberto o 1º Livro Tombo com as rubricas de Dom Paulo Rolim Loureiro e Pe. Matheus Garcez.

Entre 1961 e 1968, com a fundação das Damas de Caridade e com a compra de um terreno de 20 x 30 mts., a igreja cresce em suas atividades paroquiais e sociais junto a seus fiéis. Somente em 1966 seria realizada a primeira missa em língua portuguesa, pois, anteriormente, eram celebradas em Latim.

Em 1973 a capela foi demolida para dar lugar à nova igreja: semi-circular estilo anfiteatro, uma arquitetura super moderna, impressionantemente recatada e encantadora.

A nova igreja passou a funcionar na sua plenitude no final de 1976 e hoje está sob os cuidados do Pe. BARONE, o qual comanda os trabalhos paroquiais e sociais junto à comunidade.

Quem passa em frente da igreja quase não a percebe, não fosse a grande cruz instalada em seu jardim, que é chamada Cruz de Dozulé, cujas medidas estão associadas ao Calvário. Parece que fica ali calmamente esperando que as pessoas despojem seus corações e despejem suas almas a Deus. Mas, só parece!

Na verdade, ao observarmos a movimentação da igreja, vamos constatar que circulam por entre suas dependências mais de 1.200 pessoas por semana. Senão vejamos: somente na Pastoral da Catequese, 100 crianças freqüentam-na regularmente, sem contar seus pais ou responsáveis. Na Pastoral do Batismo, outras 100 pessoas participam todos os sábados. Nas missas de domingo, a igreja recebe cerca de 800 fiéis, incluindo aqui os que participam da missa na Capela do Colégio Nossa Senhora do Carmo as 8,30h, que é o Colégio Católico da Paróquia, pertencente ao Instituto das Irmãs Carmelitas. Desnecessário fica contar os fiéis das missas diárias, os atendimentos, os funcionários, os jovens com suas atividades de música e esporte, o Apostolado da oração, as crianças do CJ, os freqüentadores do curso de Cristianismo do professor Donato, dos cursos de noivos, de Crisma, de Bíblia, de Ministros, além dos membros da equipe de Liturgia, as Senhoras da Boa Vontade, as familias carentes que são atendidas pelos Srs. Médicos voluntários em nosso Ambulatório e pela Sociedade de São Vicente de Paulo, os membros da Legião de Maria, os participantes dos grupos de adolescentes, de teatro e por aí vai... Enfim, o coração da Vila Olímpia é realmente muito latente.

A agitada e calma, a calma e agitada Igreja do Divino Salvador, pulsa na sua frente e convida você a pulsar junto.

Venha nos visitar.

Osias.

Aqui vai uma síntese ano a ano dos fatos da Paróquia

(1942)

Neste ano foi colocada a pedra fundamental, angular da igreja, aos 25 dias do mês de outubro.

O terreno inicial foi doado pelo Sr. João Medeiros.

Em maio daquele ano de 1942, antes ainda da colocação da pedra fundamental, foi celebrada a primeira missa, no local onde seria elevada a construção da primeira igreja.

Por volta de outubro ou novembro do mesmo ano,a Santa Missa já começou a ser celebrada na Vila Olímpia, porém na residência do Sr. José de Almeida, na Rua Gomes de Carvalho, 368.

No dia 5 de dezembro daquele mesmo ano de 1942, era celebrado o primeiro casamento testemunhado pelo Pe. Pio Vésper, cujos noivos eram o Sr. Adelino com Dona Lucilla.

A primeira capela portanto, foi construída pelos padres da congregação do Pe Pio Vésper, ou seja, pelos Padres Salvatoriano, tanto que os primeiros casamentos foram registrados na Igreja de Nossa Senhora Aparecida de Moema, cujos Padres são também, Salvatorianos.

(1955)

Aos doze de outubro de 1955, o Sr. Cardeal Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, com território desmembrado da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida de Indianópolis, hoje chamada de Moema e de Sta. Tereza de Vila Olímpia hoje chamada Sta. Tereza do Itaim -Bibi criou canonicamente e erigiu a Paróquia do Divino Salvador da Vila Olímpia .

(1956)

Aos 20 de janeiro foi aberto o 1° livro do tombo da Paróquia, com rúbrica de Dom Paulo Rolim Loureiro e Padre Matheus Garcez.

Aos 22 de janeiro, tomou posse da Paróquia, como primeiro Pároco, o saudoso Padre Jeremias Arosio, do PIME, que quer dizer: Pontifício Instituto de Missões Estrangeiras que tem sua fundação na Itália. Embora não provicionado como Pároco, um tal de Padre Marcos que se pressupõe que era Salvatoriano, foi quem passou a Paróquia para o Padre Jeremias naquela data.

Quem cuidava da Igreja era o Sr. Theodoro Ashembennes, e quem cuidava da Tesouraria era o sr. Belmiro Rodrigues Marinho

(1957)

Antes de completar um ano nesta paroquia ,Pe Geremias preparou 651 fieis para receber a crisma das mãos de D. Paulo Rolim Loureiro aos 13/01/57.

Aos 29 de outubro de 1957, celebrou-se a festa do Padroeiro da Paróquia.

Nos dias 16 a 18 de novembro esteve fazendo a visita pastorao, em nome de Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, o Exmo. Sr. Bispo Dom Vicente Marchetti Zioni, que era Bispo Auxiliar na Arquidiocese

No dia 19 de dezembro foram crismados mais 324 fiéis.

(1958)

31/01 – Inauguração do Jardim da Infância para 70 crianças, com as professoras: Dona Dora Simi e Lucia Gonçalves. As aulas começaram aos 24 dias do mês de fevereiro.

(1959)

Neste ano fundou-se a primeira conferência dos Vicentinos da Vila Olímpia.

Foi inaugurada a gruta de Ns de Lourdes

(1960)

Neste ano houve 429 crismas.

Começou a obra de construção do salão paroquial

A Festa de Cristo Rei é a festa do Padroeiro da Paróquia

(1961)

Neste ano, foi feita a fundação das Damas de Caridade

No dia 28/11/61 foi feita a compra do terreno de 20x30 para levantar o prédio da quadra.

(Pago entrada + 6 prestações)

Padre Pedro Locati funda as Damas de Caridade, enquanto de 20 de janeiro a 11 de outubro o Pároco Pe Geremias Arosio ficou na Itália.

(1962)

Inicio das obras do Salão Paroquial, com 15 estacas, nesta segunda fase, pelo Eng. Ludovico Brunetti e empreiteiro Diego Muelo.

(1963)

No mês de novembro deste ano veio o Pe Carlos Forcela veio ajudar na Paróquia como coadjutor do Pe. Jeremias.

(1964)

Neste ano, tivemos a visita de Dom Agnelo Rossi. – Deus conservet eum...ad multos annos.

(1965)

Em novembro deste ano, faleceu sr. Jose Gonçalves Mello que era um dos pioneiros dos vicentinos da Paróquia, e benemérito da Paróquia..

(1966)

Exatamente no dia nove de abril deste ano, pela primeira vez, a santa Missa em Português.

5/6/66 – Dom Jose Lafayette, bispo auxiliar de São Paulo, nesta data, crismou 145 pessoas.

No mês de outubro de 66 – O Pe Geremias foi atropelado na Rua Quatá.

(1967)

12/67 – Neste mês de dezembro, foi cimentada a quadra. Para isso foram empregadas toneladas de ferro, cimento e pedra.

Neste ano foram celebradas na Paróquia, 1025 missas, 160 batizados e 55 matrimônios.

(1968)

Dona Dora Sim – na escola era chamada a mãe da escola

16/4/68 – Pe Geremias sai após 13 anos.

(1969)

Neste ano, comoçou a funcionar o Seminário Maior do Pime, aqui na Paróquia da Vila Olímpia.

Dr. Jose Mello Gonçalvez – organizou o centro social.

Ir. Lucy Parollo – era a ssistente da obra sociais .

Colaboravam também:

Benedito Libânio de Souza

Reivaldo Martins Fleury 3/69

Tarcisio Chagas de Souza.

Pe.Jose Zanelli – reitor do seminário do Pime na Vila Olimpia

Agosto /68 : Tivemos nesta data a Reunião Paroquial, com as presenças abaixo:

Pe. Jose Guerini

Pe. Alberto Toffolo

Ir.Lucy Parollo

Manoel J. Gomes dos Santos (secret. Eleito provisório)

Joaquim Jose de Almeida

Aníbal Bontempi ,Silvio,Potello ,Rafael ,Berta , Ir. Celina, Sales ,V. Mª Alice Cruz e Gergina

23/9/68 – Reunião dos Padres do Setor

10/11 – Tomou posse da Paróquia da Vila Olímpia, o segundo Pároco, o Padre José Guerino também, do Pime.

(1970)

Neste ano, tem onze Seminaristas do Pime, residindo na Paróquia, com 9 na Filosofia

01/11/70 – Dom Paulo Evaristo Arns é o novo Arcebispo da Arquidiocese de São Paulo.

(1971)

16/março/71 Escritura definitiva de Espólio de Dario Browne de Araújo da Gurilandia

(1972)

22/4/72 – Tomou posse como terceiro Pároco da Vila Olímpia, o Pe. Bruno Turato. do Pime

06/72 Pe José deixa a nossa Paróquia.

08/72 Vem trabalhar aqui como Vigário cooperador, o Pe. Sandro Schiatarela.

11/72 D Paulo visita as obras da Paróquia.

(1973)

No final deste ano, encerrou-se o Seminário Maior do Pime, na Paróquia da Vila Olimpia

(1974)

25/11/73 Pedra fundamental por D.Benedito Ulhoa Vieira

12/73 Missa no Salão ,seminário transferido para a Rua Andrade Pertence.

26/12/73 demolição da antiga igreja

(1975)

18/2/75 inicio da obras de estaqueamento

12 a 14/9/75 1ª Ecc da paroquia

24/12/75 D.Mauro visitou a Paroquia

23h- Benção da nova Igreja p/ D Mauro

(1976)

No início de março, ficou pronta a lage de cobertura da Igreja.

Final do ano, a Igreja já estava funcionando no prédio novo

(1977)

Foi realizado o primeiro Encontro de Jovens com Cristo no Col. Companhia de Maria, com ajuda da Paróquia da Pompéia, com 65 jovens

Em junho, D. Mauro Morelli crismou 36 pessoas.

13/08 Padre Domingos Girotto veio ajudar como vigário cooperador

Foi realizado o primeiro encontro de adolescentes com Cristo no Col. Dos Santos Anjos

Neste ano foram celebradas 1002 santas missas, 155 batizados, 83 casamentos, 150 primeiras comunhões e 96 unções de enfermos.

(1978)

Início do revestimento externo da Igreja, em meados de fevereiro, e vitrais no forro da mesma, inclusive a cruz sobre a mesma, na parte posterior.

(1979)

2/3/79-veio o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns juntamente com Dom Mauro Morelli para tratarem da transferência da Paróquia do Pime para a Arquidiocese de São Paulo, ao setor Pinheiros da Região Sé.

(1980)

01/01 – A Paróquia a partir desta data, foi entregue pelos Padres Missionários do Pime, para o Clero Arquidiocesano de São Paulo, pertencendo à Região Episcopal da Sé.

01/01 Tomou posse na Paróquia, Pe José Alves Pereira ex-rogacionista, nascido aos 12/01/1949 em Laguna-SC, oriundo de Carapicuíba, hoje pertencente a diocese de Osasco, como quarto Pároco da Vila Olímpia por tempo indeterminado e simultaneamente o Pe Paulo Flávio da Silva, como Vigário Cooperador do Padre José.

(1981)

25/10 – veio Sua Eminência o Cardeal Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns participar da reunião do então Conselho Paroquial da Vila Olímpia, composto pelos seguintes responsáveis:

- Faustino Felício, pela pastoral dos enfermos e dos vicentinos

- Dona Iná, cuidava da Catequese, com dona Nancy,

- Manuel Lopes, cuidava da quadra,

- Wagner Cezar, cuidava da pastoral da juventude, junto com Eddy

- Julio e Tatiana, cuidavam do Conselho Paroquial,

- Cristiano, cuidava da Administração da Paróquia, com Sr Vico e Duarte

- Janeiro e Dair, cuidavam dos Encontros de Casais com Cristo, e do Dízimo,

- Dr Gomes, na Administração

(1982)

2/06 Padre Paulo Flávio da Silva despede-se da Paróquia, e vai ser Capelão Militar.

O Padre Barone narra sobre a Paróquia a partir de 1983, quando aqui chegou:

(1983) C – Chegada do Pe Barone na Vila Olímpia.

Por volta de julho de 1983, o Padre Barone já veio conhecer a Paróquia da Vila Olímpia. Começou a trabalhar aqui aos 22 de agosto, e Dom Paulo deu a posse da Paróquia por tempo indeterminado no dia 3 de Setembro daquele ano.

O Pároco anterior, Pe. José Alves Pereira, ficou aqui por uns três anos. Era muito doente, tendo um só pulmão, e parte do intestino estraida, porisso sua saúde estava cada vez mais delicada, quando então, foi para Fortaleza para tratamento da saúde, onde infelizmente veio a falecer. Trabalhava com as vocações sacerdotais em nível de Arquidiocese. Era um Padre muito dedicado para com as vocações sacerdotais. Teve que abandonar tudo. Já nos últimos tempos na Vila Olímpia, por diversas vezes teve que se ausentar. Diversas vezes recebeu a unção dos enfermos naquela época.

A Vila Olímpia tinha sido uma paróquia muito dinâmica, nos tempos dos missionários do PIME. Praticamente eles é que levantaram oitenta por cento das construções da Paróquia. Trabalharam uns vinte anos por aqui. Agitaram muito. O Padre Jeremias Arosio, depois o Padre Bruno Turato, que era um grande liturgista e grande pianista. Ambos italianos do Norte da Itália, trabalharam por aqui, auxiliados por outros missionários italianos do PIME. Eram muito dedicados.

Não menos dedicado do que eles, o Pe José Alves, era um moço cheio de idéias, muito inteligente, nascido em Laguna, Santa Catarina. Desde adolescente entrou para o seminário e foi rogacionista, isto é, de uma congregação religiosa dedicada as vocações sacerdotais. Pe José Alves trabalhava num teologado da Arquidiocese, na região Sé. Com a saúde que ele tinha, ter que cuidar do Seminário, das Obras das Vocações Sacerdotais, e ainda mais, da Paróquia, era uma sobrecarga muito grande de trabalho. Naqueles três anos e meio que aqui trabalhou, teve que se ausentar demais, e isso fez com que muitos dos fiéis que aqui trabalhavam mas moravam em outras Paróquias, se dispersassem, e isso mudou a fisionomia da Paróquia. Os participantes dos Encontros de Casais com Cristo, que não residiam no território da Vila Olímpia, em sua maioria foram para outra paróquia, levando inclusive os aqui residentes.

Com o agravamento da deficiência da saúde do jovem sacerdote, a Paróquia foi perdendo o dinamismo dos tempos dos Padres do PIME que o antecederam.

A Igreja estava por terminar, o restante do imóvel estava completamente abandonado, com cupim tomando conta de todos os móveis, portas, árvores, enfim, tudo o que era de madeira estava em perigo de deterioração. Uma companhia de Teatro que aqui se instalou, estragou todo o piso do salão. As taxas da prefeitura eram altíssimas, e os seis últimos meses de balancete apresentavam um déficit de um milhão de cruzeiros em moeda da época.

A Catequese tinha no total, apenas 23 alunos se preparando para a primeira comunhão, com uma única catequista, que muitas vezes tinha que faltar quando tinha compromissos fora da cidade..

Diferentemente das outras Paróquias, esta não tinha a casa paroquial, sendo que o pároco anterior alugava um apartamento na Av. Berrini, num prédio de esquina com a rua Flórida.

Os poucos móveis e objetos da que seria a casa Paroquial, só vieram para a Paróquia no final de novembro daquele ano, quando venceria o contrato do apartamento que o Pe Barone nunca chegou a usar. Era pago pela Arquidiocese, devido ao déficit da Paróquia até então.

A única sala que o Padre tinha para receber as pessoas, tinha os tacos do piso quase totalmente soltos. Outras duas salas ao lado que poderiam servir de quarto para o Padre dormir, eram insalubres, pois no passado estes terrenos eram chácaras com plantações pertencentes a famílias européias que aqui se instalaram no início do século. Existia uma valeta no meio da atual sacristia onde a água escorria em dias de chuva.

No prédio superior, todas as portas estavam quebradas, não deu para aproveitar uma sequer. Uma vez o Padre Barone chamou o vidraceiro para trocar os vidros avariados, foram detectados 193 vidros. Nenhuma janela basculante se movia. Estavam todas travadas. Empregada para fazer comida e lavar roupa, nem pensar!!!

Entre o prédio do Ambulatório e o Salão Paroquial, existia umas salas abertas que eram depósitos de madeira velha com poeira e cupim, alem de ferragens usadas, assim como num corredor atrás do ambulatório. Era cupim por toda parte. Os muros da quadra de esportes estavam arrombados sendo que não tinha como fechar a quadra nos momentos de atos litúrgicos ou de aulas de catequese, quando pessoas estranhas à comunidade invadiam para jogar bola e gritavam palavrões e faziam um ruído ensurdecedor.

Havia uma escola de educação de adultos, instalada nas dependências da Paróquia, cujos alunos nada pagavam, era um estudo gratuito com as salas graciosamente cedidas pela Paróquia. O Padre chegou a flagrar alguns daqueles alunos desenhando cenas obcenas nas paredes. Eles eram completamente indiferentes para com as crianças pequenas que em outros períodos frequentavam a catequese nas mesmas salas.

(1984) – Magistério na Faculdade de Teologia

Neste ano, o Padre Barone iniciou no magistério de Sagrada Escritura, primeiro na Faculdade de Teologia de Moema, substituindo o hoje Bispo, Dom João Evangelista Martins Terra, dando aulas de introdução à Sagrada Escritura. Em seguida começou a lecionar na Faculdade de Teologia de Nossa Senhora da Assunção, no campus do Carmo, lecionando as Cartas de São Paulo. Dizem que o bom professor é aquele cujos alunos o superam. Em vista disso, o Padre se orgulha muito, por ter tido naquela escola de Teologia, duas grandes alunas conhecidas em todo o Brasil, sendo uma a Ir. Penha Carpanedo, brilhante liturgista, que é , tendo escrito muitos livros atualíssimos e importantíssimos na área de Liturgia, é Irmã Paulina, e a outra é a Ruth, que trabalha na liderança da coordenação da Pastoral da Arquidiocese de São Paulo.

Compra do primeiro Veículo em nome da Paróquia, doado pela Adveniat, da Alemanha e pela Arquidiocese de São Paulo, um Gol Furgão da Volkswagen.

(1984) B – Início das reformas na Igreja.

Certa ocasião, o Padre foi até a Prefeitura, para uma reunião com a secretária Dona Marta Godinho e mais uns vinte assessores, pedir uma ajuda para a reforma do prédio que estava sendo utilizado pela prefeitura no programa de alfabetização de Adultos. Estava tudo em estado de precariedade.

Eram goteiras por todos os lados com todos os telhados comprometidos, além de forros estuporados, sendo que quando chovia, a água não só vinha de cima, mas transbordava dos pisos que a gente não fazia idéia de onde é que brotavam.

Ao terminar a reunião, alguns dos assessores deixaram o telefone para que o Padre entrasse em contacto para a ajuda solicitada, porém o Padre nunca conseguiu falar com nenhum deles.

São no total, 2.500 metros quadrados de terreno, quase todo construído há muitas décadas atraz, e isso é mais difícil de consertar do que fazer novo.

O Padre não tinha carro nem casa paroquial, porisso tinha que dormir longe da Paróquia e como tinha que pagar quatro passagens de ônibus para ir e voltar a Igreja, então arrumou uma bicicleta por um bom tempo, até que a Adveniat (Associação Católica Alemã supra citada) fez uma doação de dois mil e oitocentos dólares, para a compra veículo para a Paróquia. Sendo insuficiente a quantia conseguida, o Padre conseguiu com o Cardeal, o restante para a compra do Gol-Furgão que serviu a Paróquia por onze anos, quando então, foi doado aos Vicentinos para as obras sociais da Igreja.

Era um sem número de problemas a serem resolvidos naquela época. O Padre nem sabia por onde começar. Eram muitos palpites, mas faltava tudo para começar a resolver. Diante de tantos problemas, o Padre deu prioridade para a Igreja, que estava já na hora de ser definitivamente terminada e inaugurada, e mais avante tinha que ser consagrada.

Todavia, no primeiro ano por questão de princípios, o Pe Barone prometeu que não iria mexer com tijolos, e de fato não o fez. Dedicou-se sim a resolver a questão do som na Igreja, e algumas outras prioridades que se faziam nescessárias de imediato.

(1985)

Foi no inicio do ano de 1985 que o Padre montou duas comissões na Igreja. Uma de finanças e outra de construção. Após algumas reuniões tudo começou a engrenar. Por falta de tempo para a boa preparação das aulas na Faculdade de Teologia durante este período, o Padre Barone, consciente de sua limitação, foi obrigado a deixar as aulas da Faculdade.

Aos 12 de outubro de 1985, à noite, Dom Décio Pereira veio celebrar a Missa de Inauguração da Igreja. Todas as paredes de concreto foram lixadas. As demais foram pintadas, presbitério ampliado, escada do mesanino refeita, lustres novos, piso novo todo de ardósia, portas novas de vidro temperado, tudo novo, foi inaugurado

(1985) B - A jovem da Paróquia entra para o Mosteiro da Paz

Naquela mesma data, 12 de outubro de 1985, uma jovem da comunidade entrou definitivamente para o Mosteiro das Beneditinas, era a Ir. Mectildes que o Padre Barone encaminhou para o Mosteiro da Paz em Itapecerica da Serra. Seu nome, antes de entrar para a vida religiosa, era Regina. Antes de ingressar no Mosteiro definitivamente, por diversas vezes o Pe. Barone a levou até lá, para conhecer a comunidade, que ficava muito fora de mão.

As pessoas para quem ela trabalhava, não eram muito católicas. Não pagavam em dia o INPS e nem registro em carteira ela tinha. Após alguns meses, um menino da Paróquia foi até o local de trabalho da jovem Regina para buscar uma maleta com as roupas que lhe pertenciam, as quais no momento que entrou para a Vida Religiosa ali deixou, sem olhar para traz. O pessoal meio revoltado com a saída dela, colocou muitos pingos de soda cáustica na mochila da Irmã Mectildes, inutilizando completamente as roupas ali contidas, o que interiormente deve ter machucado profundamente a Reverenda, pois ela sempre confiara muito naquela família.
Assim que ela entrou para o mosteiro, ela escreveu a primeira carta para o Padre Barone, colocou o seguinte remetente:

Remetente: Ir. Regina
Endereço: Rua da Felicidade
Bairro da Paz.

Foi feito o primeiro mapa da Paróquia por uma empresa, com o custo de Cr$1.400.000,00 , porém a doação foi feita pelo Sr Henrique Pinto e Sr Carlos, que possuíam uma imobiliária nas imediações da Paróquia, o Sr Tristão, que posteriormente foi deputado, doou a impressão de 16.000 folhetos com o mapa, que foi distribuído em toda o território da Paróquia naquele ano.

(1986)

Foi logo no início deste ano, no dia 28 de janeiro que após um ano de insistência e duas viagens feitas pelo Sr. Adelino e Sr. Silvio Teixeira até Benedito Novo em Santa Catarina, chegaram finalmente os bancos que já haviam sido encomendados antes do início das reformas da Igreja.

Nessa ocasião, o Padre Barone começou a incentivar a catequese, explicando para os fiéis a importância do relacionamento cristão, dos laços cristãos que aprofundam os irmãos na fé. Explicava ao povo, o Pe Barone, a importância das amisades que as crianças adquirem num ambiente religioso, o quanto isso vai futuramente significar para eles ter amigos que surgiram num ambiente de Deus, dentro da comunidade Cristã.

Dos 23 alunos que haviam, dois anos após, esse número passou para mais de 400 alunos, tendo que receber ajuda de religiosas e seminaristas para reforçar o ensino religioso. Até os jovens da paróquia se dispuseram a ajudar na mesma.

(1986) – Os catequistas que foram para o Seminário.

Esse fato desencadeou outro fato positivo. Ou seja:
Três desses catequistas jovens resolveram entrar para o seminário para serem Padres. Foram eles: o hoje, Padre Niltinho, que atualmente trabalha no Piauí, foi ordenado sacerdote em Teresina e é muito amigo do Sr. Bispo daquela diocese. Outros dois, Antonio Carlos e Euclides, foram para o seminário dos Padres Verbitas em Santo Amaro, mas não progrediram ali, porque o próprio reitor deles deixou o ministério para se casar. Pe Barone ficou muito magoado, porque é muito difícil conseguir vocações em São Paulo, e quando surge, após tanto trabalho, acontecem esses casos de suma irresponsabilidade

(1987) – Ordenações Sacerdotais na Vila Olimpia

No ano de 1987, tivemos a consagração da Igreja do Divino Salvador da Vila Olímpia. Foi feita no dia de Pentecostes, aos 6 de junho, por Sua Excelência Reverendíssima, Dom Paulo, o Cardeal Arns.
Duas ordenações sacerdotais ocorreram na Vila Olímpia, que foram:

Aos 6 de dezembro de 1987 o Pe Alfredo Nascimento Lima foi ordenado presbítero. Ele exerceu o ministério do Diaconato todo, em nossa Paróquia, trabalhando não apenas na Igreja Matriz, mas também nas quatro grandes favelas que havia naquela época. , que eram: a Nicodemus, a Beira Rio, a Juscelino e a Funchal.

04/10 Padre Barone institui a Benção dos Animais, no domingo mais próximo da festa de São Francisco, aos 4/10

08/12 O Padre institui a Consagração a N. Sra. Todo ano no Domingo mais próximo da festa da Imaculada Conceição, aos 8/12.

(1988) – Ordenação Diaconal do Pe Vicente

No ano seguinte, aos 12 de dezembro de 1988, o jovem Vicente de Paulo Moreira, foi ordenado diácono, pela imposição das mãos de Dom Décio Pereira, que era Bispo Auxiliar na Região Sé.

(1989) – Presbiterato do Pe Vicente

Aos 10 de dezembro de 1989, pela imposição das mãos de Dom Paulo Evaristo Arns, o Diácono Vicente de Paulo Moreira foi ordenado Sacerdote, tendo exercido o seu diaconato nesta Paróquia, tendo também ele, assim como o Pe Alfredo, feito pastoral na Matriz assim como nas quatro grandes favelas daquela época, supra citadas.

(1985 – 1989) – Reformas – primeiro ciclo

Durante esse período, mais precisamente, entre os anos 1985 a 1990, o Padre criou coragem e começou a tocar todas as obras que estavam por fazer, que estão explicitadas no livro do tombo nas páginas 67 até 76, perfazendo um total de nada mais nada menos do que 267 tarefas de construção. Foi a primeira parte das reformas gerais.

(1992)

No dia 31 de outubro deste ano, esteve entre nós Sua Eminência o Sr. Cardeal Arcebispo Metropolitano de S Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, para a crisma.

(1993)

No dia quinze de setembro deste ano, novamente esteve entre nós, sua Eminência o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, para a Crisma.

(1994)

Voltou no dia 18 de dezembro, Sua Eminência, o nosso Cardeal, Dom Paulo, para a Crisma.

(1995) – Curso de Cristianismo com o Professor Antonio Donato

Após a Páscoa de 1995, um jovem, formado em Engenharia na Escola Politécnica

Da Universidade de São Paulo, e posteriormente, tendo feito o Mestrado em Filosofia, também naquela universidade, comprometeu-se a trabalhar nesta Paróquia, todas as quintas-feiras, dando um Curso de Cristianismo para adultos, por causa do nível do Curso. Até hoje, todas as quintas-feiras, faça chuva ou faça sol. Ele está aqui na Igreja para dar seqüência ao Curso. O Jovem chama-se Professor Antonio Donato.

Encontros de Jovens: Durante estes ultimos vinte anos, os Jovens da Paróquia têm feito inúmeros encontros e retiros fora da Paróquia, sempre num ambiente propício para a meditação e reflexão sobre a própria vida, com inúmeros palestristas vindos de outras comunidades, sempre proporcionando a eles um convívio melhor com os pais, e com toda a familia, e na comunidade.

Uma amostra de parte desse trabalho, é a banda que todos os domingos na missa das dez horas anima a comunidade para celebrar o Dia do Senhor, com muita alegria sadia, e muito louvor ao Pai do Céu.

Na festa dos 18 anos de ordenação Sacerdotal do nosso Pároco, o Pe Sidney Barone, esteve em nossa Paróquia, o nosso Cardeal Arcebispo, Dom Paulo Evaristo Arns, que também realizou a crisma na mesma Santa Missa.

(1996)

No dia primeiro de setembro deste ano, veio celebrar a Crisma em nossa Paróquia, Sua Eminência Reverendíssima o Sr. Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns.

(1997)

Pela última vez como Arcebispo Metropolitano de São Paulo, nosso Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns veio celebrar a Crisma em nossa Paróquia

(1999)

Na festa de Nossa Senhora de Guadalupe, aos 12 de dezembro, veio a nossa Paróquia pela primeira vez, o novo Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Dom Cláudio Hummes, que deu a benção para a Cruz de Dozulé que foi então inaugurada defronte a Igreja, no jardim, além de fazer a crisma e ordenar alguns ministros novos.

(2000) – Reformas – segundo ciclo

A segunda grande reforma viria a acontecer dez anos após, no novo milênio, nos anos 2000 em diante, com a colaboração específica de alguns membros ativos da comunidade, com:

- a instalação de para-ráios em toda a extensão da Igreja;

- a reforma da cobertura da Igreja, removendo as mantas de borracha antigas e colocando novas mantas;

- Colocando uma camada de cimentdo por cima dessas novas mantas, para garantir uma proteção melhor;

- Colocando em todas as dependências da Igreja, todos os hidrantes que o CONTRU exigia;

- Colocando extintores de incêndio, e portas de emergência, também em toda a extenção da Igreja e suas dependências, conforme as exigências do CONTRU;

- Foi feita uma caixa de água exclusivamente para alimentar tais hidrantes, com mais de dez mil litros, exclusiva para caso de incêndio;

- Foi colocado, também, o sistema de alarme para caso de incêndios;

- Foram colocados sistemas de vigia nos pontos principais da Igreja;

- Foi entronizada a Cruz de Dozulé, pelo o nosso Cardeal Dom Cláudio Hummes que veio inaugurar oficialmente no dia de Nossa Senhora de Guadalupe no ano de 1999 (12/12/1999). Foi a primeira vez que Dom Cláudio aqui esteve, quando ainda não era Cardeal. É a Cruz luminosa que foi instalada por uma empresa de Santa Catarina, dando um ar mais próprio, diante da Igreja, que tem os escritos na base;

- Foi também colocada a inscrição sobre a porta da Igreja que está defronte a rua, indicando o nome do Divino Salvador a quem a Igreja foi dedicada;

- A Quadra foi toda reformada, com iluminação de estádio, doada pelo nosso irmão falecido, o Arnaldo da Dorotéia, além do alambrado generosamente doado por uma família da Alemanha que é amiga pessoal do Pe Barone, e que sempre o apoiou em seu trabalho. Essa mesma família Newman, apesar de residir na Alemanha, tem estado anualmente presente em nossa comunidade, sempre disposta a ajudar nossa comunidade. Graças a Deus, eles tem colaborado muito, de um modo especial com o nosso Ambulatório para os pobres;

Nessa época, o Dr Paulo Frucci com seus colegas Médicos e secretárias, todos voluntários, iniciaram o Ambulatório para as pessoas carentes da comunidade, que nestes últimos cinco anos já atenderam mais de dez mil consultas, além de outros serviços necessários, com fornecimento de remédios e exames muitas das vezes.

Na véspera do Natal, no dia 24 de dezembro de 2000, Dom Gil Moreira que cuidava das Obras das Vocações Sacerdotais da Arquidiocese, veio celebrar o sacramento da crisma, em sua primeira visita a nossa Paróquia.

(2002) – Dom Manuel e os Vitrais

Aos 31 de março de 2002, nosso Bispo Auxiliar na Região Sé, Dom Manuel Parrado Carral, inaugurou os vitrais superiores, contando com a ilustração de quatorze cenas do Santo Evangelho, além de conferir o sacramento da Crisma e também ordenar alguns ministros.

(2004) – Dom José Maria e os quadros da Via Sacra

Aos cinco dias de Dezembro de 2004, o Sr. Bispo Auxiliar da Região do Ipiranga, Dom José Maria Pires, que estudou no mesmo seminário que o Pe Barone, no Ibaté em São Roque, veio fazer a inauguração dos quadros novos da Via Sacra.

(2005) Dr. Paulo e o Ambulatório dos Pobres.

Nestas férias de final de ano, até o início de 2006, o ambulatório tem recebido uma ampla reforma, com troca de todo o piso, deixando tudo mais adequado para o ambiente médico.

Aos 25 de dezembro, no dia do Natal, este site foi inaugurado, tendo como Webmaster o jovem Luiz Felipe Martino, que simultaneamente é membro da banda da juventude da Paróquia, juntamente com os demais ministros da música.

(2006) Dom José Benedito Simão e o vitral central

Colocamos um vitral novo na Igreja, representando o Espírito Santo, mais ou menos como aquele colocado no Vaticano. Veio para a inauguração, o bondoso Bispo da Brasilândia. Dom José Benedito Simão, ex-diretor da Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção e ex-aluno do Padre Barone quando era reitor do Teologado Dom José Gaspar em Santo Amaro.

(2007)

Estamos reformando a Igreja, com um presbitério todo de mármore italiano. e também um altar de granito verde. O Som da Igreja também foi todo modificado, com um serviço feito por uma empresa especializada em som de igreja.

PRINCIPAL | CONHE�A NOSSA IGREJA | PALAVRA DO PADRE | ENTRE EM CONTATO | SOBRE O SITE
Par�quia Divino Salvador da Vila Ol�mpia
Rua Casa do Ator, 450 - Vila Ol�mpia, S�o Paulo - SP